Dr. Sin: ouça canção inédita

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 10:22

0

O disco novo do Dr. Sin, Intactus, ainda não foi lançado mas a banda já divulgou a primeira canção. Trata-se de How Long:








Winny Puhh, uma atrocidade musical!

Posted by João Carlos Martins | Posted in , | Posted on 13:08

0

Por João C. Martins

Esta semana, ao visitar os mais diversos sites de entretenimento, encontrei um que tinha como descrição antes de um vídeo a frase, “Engula seu café antes de dar o play”. Confesso que não consegui imaginar muita coisa referente ao que, de fato, seria mas mesmo assim me senti tentado a dar o play, mesmo não tendo nenhum café próximo a mim. Li um pouquinho do que mais havia ali. Dizia ser uma banda de Punk Rock, que se valia muito de suas performances sempre peculiaríssimas e que, isso o mais atrativo, é da Estônia! Depois de ler isso que eu disse, com certeza você está procurando na memória quantas bandas da Estônia conhece, e concorda que não é algo tão comum assim. Pois bem, o vídeo estava carregado e a atração começara. Não entendi muito bem no início o que estavam falando, e só depois me dei conta que não sei nada de estoniano, nem ouvindo, tampouco lendo, mas, modéstia a parte, sei um pouquinho sobre Rock ‘n’ Roll, e sei que o que esses caras fizeram naquele palco foi uma das atitudes mais Rockeiras dos últimos tempos.

O nome da banda é Winny Puhh, a pronúncia deve ser essa mesmo que está pensando, que não sei qual é, e eles lançaram dois discos em sua carreira, que vem desde 1993. Essa informação não é muito confiável, confesso, pois o máximo que consegui entender, referente a essa estranha banda, foi aquilo que estava escrito no Wikipédia, visto que é o único material escrito numa língua de fácil entendimento, enquanto em todos os outros sites, jornais e programas, o conteúdo encontra-se na língua nativa dos rapazes, cujo a qual nem mesmo com muita boa vontade consegui decifrar aqueles códigos malucos. Chega a ser cômico, pelo fato de que de uma frase inteira, conseguia encontrar a tradução de apenas, uma, quando muito, duas palavras, como no vídeo que veremos a seguir.

Como orientação, passo a mesma advertência de quando vi. Engula seu café antes de dar o play. O nome da faixa é Meiecundi mees üks korsakov läks eile Lätti (Por favor, não pergunte o que significa, só o que sei, via Google tradutor, que tem algo relacionado a um homem que foi ontem a Letónia).

 

Extremamente doentio. Não entendo nada do que falam, mas tenho certeza que é algo muito louco. A forma que se apresentam, as vestes, o jeito de cantar, o som… é tudo muito estranho para uma única noite.

Essa apresentação aconteceu no programa Eesti Laul (The song of Estonia’) que se assemelha ao Got Talent ou até mesmo ao programa Ídolos que tínhamos aqui em nossa terra.

E se pensa que isso foi particularidade nessa apresentação, veja o que eles já tinham feito nesse mesmo ano (2013).

 

E em qualquer outro lugar que eles apareçam, algo de novo vai acontecer, tenha certeza.

Como dito, apesar da longa carreira, de mais de vinte anos, apenas dois álbuns foram lançados, ambos pela mesma gravadora, a Legendaarne Rokenroll Records, sendo um no ano de 2006, conhecido por Täämba Õdagu Praadimi Kunna e o outro em 2010, esse nomeado Brääznik.

Dou maior destaque para o primeiro citado, pois tem uma veia muito voltada ao Rock, além dele ter uma algo em si, que considero de muito bom gosto, que é, seguir aquela coisa de parecer um show, ou seja, uma faixa que se conecta a seguinte e assim sucessivamente. E não pense que é só gracinha que faz deles uma grande banda, mas sim seu estilo Punk Rock/Hard Core agressivo é capaz de formar rodas de porradaria em qualquer lugar que toque uma de suas canções. Lembra muito a pegada da banda estadunidense Corrosion of Conformity no início de sua carreira, principalmente quando lançaram seu debut, chamado Eye for an eye, que soa como se tivesse sido gravado numa paulada só, num único dia, sem mixagem, sem nada, só tocaram e gravaram.

MI0003584293

Esta é a capa do disco. Outro ponto interessantíssimo é que em certos momentos simulam algo como uma transmissão de rádio.

Um exemplo do peso desse álbum pode ser evidenciado pela faixa Kolm Põrsast, que com um “riffzão” grave e cadenciado, mostra a qualidade dos caras em fazer som sujo.

O tracklist nesse compilado ficou assim:

01- Head Ööd

02- Karuott

03- Nuudlid Ja Hapupiim

04- Kolm Põrsast

05- Rambo

06- Meid Tervendab Kashpirovski

07- Vanamutt

08- Olevik

09- Jube Lugu

10- Täämba Õdagu Praadimini Kunna

11- Lõke Preerias

12- Pornofilmide Näitlejad

13- Suusasõit

Bonus:

14- Vanamutt (Radio Edit)

15- Nuudlid Ja Hapupiim (Radio Edit)

 

Winny-Puh-658x350

Os integrantes são: Indrek Vaheoja (Vocal), Silver Lepaste (Guitarra), Ove Musting (Guitarra), Indrek Nõmm (Baixo), Kristjan Oden (bateria e percussão) Olaf Sander (bateria e percussão).

E se acha estranho ter dois bateristas tocando a mesma bateria um de frente para o outro… realmente é muito estranho.

Joan Jett nos vocais do Nirvana

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:17

0


Na noite de hoje o Nirvana  será induzido ao Rock And Roll Hall of Fame e a página do facebook do Foo Fighters divulgou uma foto com bateria, duas guitarras e um baixo. Uma das guitarras pertence a Joan Jett, o que indica que Jett deve assumir os vocais na apresentação. Vale lembrar que a guitarrista já excursionou com o Foo Fighters e chegou a subir no palco do Lollapalooza Brasil durante o show da banda de Dave Grohl.


Confira o lyric vídeo de Midnight Oil, do California Breed

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:10

0



Midnight Oil é parte do disco de estreia do California Breed, que tem previsão de lançamento para 16 de maio via Frontiers Records.

Assista:


 

Winger: confira o clipe de “Tin Soldier"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:02

0

“Tin Soldier" é parte do álbum Better Days Comin’. e tem previsão de lançamento para o mês que vem.

Confira:



Ex-Anthrax lança nova banda

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:59

0



O ex- vocalista do Anthrax, Dan Nelson, revelou que está trabalhando em um novo projeto, a banda Lead Pipe Cruelty. No novo grupo, Nelson também assume o baixo, dividindo o microfone com J. Costa, do Thy Will Be Done. A batera fica com Corey Pierce, do God Forbid e os guitarristas Eric Tavares (Thy Will Be Done) e Rob McElroy completam o time.  A banda já trabalha em músicas para um primeiro disco.

Metallica libera vídeos da apresentação no Brasil

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:45

0



A banda de James Hetfield que esteve recentemente em terras brasileiras com a turnê Metallica By Request , divulgou através de seu canal do Youtube alguns vídeos dos shows feitos por aqui.

No clipe de 12 minutos, é mostrada a faixa que abriu o show -" Battery“- e a primeira música do bis, Whiskey in the Jar“, que não era tocada há 5 anos.

Confira:





Kiss: confira o vídeo de divulgação de mega box da banda

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:37

0



O Kiss vai lançar um mega box chamado KISSteria e que traz uma caixa com 34 LPs da banda (todos os álbuns de estúdio e ao-vivo oficiais), além de alguns que nunca foram lançados em vinil, mais seis álbuns exclusivos do box-set e vários ítens extras. 


Confira a descrição do mega box no vídeo a seguir:





Queens of the Stone Age, datas confirmadas no Brasil.

Posted by João Carlos Martins | Posted in , | Posted on 16:16

0

Fontes fidedignas afirmam que Josh Homme e sua trupe, o Queens of the Stone Age, passarão pelo Brasil novamente, ainda esse ano, contudo dessa vez em um show solo, fato inédito na carreira da banda em território tupiniquim. O intuito dos músicos será continuar com a turnê de …Like Clockwork (2013), último álbum lançado pelo grupo. Apesar da data ainda ser distante, já está confirmado que em 27 de setembro os americanos irão se apresentar no Espaço das Américas em São Paulo (SP) e no dia 29, do mesmo mês, no Pepsi On Stage, em Porto Alegre (RS). Vamos aguardar!

url

Sepultura: U2 inspirou as letras de Beneath the Remains

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 11:15

0

A Metal Hammer fez uma exclusiva com Max Cavalera, ex-Sepultura, sobre os 25 anos de Beneath the Remains, clássico divisor de águas na carreira dos brasileiros, lançado em 07/04 de 1989.

“Acredite se quiser,”, diz Max, “muitas das letras em Beneath the Remains foram inspiradas pelo álbum War, do U2. Antes deles eu me inspirava em Motörhead e Black Sabbath, mas comecei a escutar U2, que tinha grandes letras. Se você escutar a canção ‘Arise’ (do álbum seguinte, de 1991) uma das mais significativas frases é ‘Under a pale grey sky’ que veio direto de ‘Under a Blood Red Sky’ da canção “New Year’s Day”, do U2.”

“É louco pensar que já se passaram 25 anos. Não parece que faz tanto tempo, eu ainda amo aquele álbum. Tivemos que gravar de madrugada pois não conseguimos horário durante o dia. E isso afetou sua sonoridade.”

Veja a matéria completa (em inglês) clicando aqui.




Mastodon: novo álbum já tem título

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 09:52

0

Once More Round the Sun - este é o título do próximo disco dos gigantes do Mastodon.

Confirmando o título, o baixista Troy Sanders afirmou à Paste Magazine: "após terminado o ciclo de 2 anos com a turnê do álbum anterior, quisermos voltar ao estado inicial de ensaios novamente. Temos sorte de fazer isso novamente. Aí tem esse sentimento de ciclo - e não é uma coisa má".




4 quartetos fantásticos do rock

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:38

0



O número de bandas de qualidade com 4 integrantes é quase infinito e criar uma lista com as melhores é tarefa impossível porque certamente muitas ficariam de fora injustamente. Então resolvi escolher 4 bandas (mas sem clichês) que têm algo a mais em comum: fazem (ou fizeram) um som de qualidade, porém cada uma na sua vertente! Por Rose Gomes

Black Sabbath – Formado em 1968 o grupo britânico é considerado pioneiro no segmento heavy metal, influenciando bandas de diversos gêneros e subgêneros do rock. O quarteto que já passou por várias formações e teve inúmeros vocalistas (entre eles Ozzy, Dio, Ian Gillan, Glen Hughes, Tony Martin e por aí vai), tem ao todo 19 álbuns e gera muita discussão sobre qual “era” foi melhor. Na humilde opinião da serva que vos fala, os álbuns Heaven and Hell (com Dio nos vocais – 1980), Born Again (Gillan – 1983),  Seventh Star (Hughes -1986) e Headless Cross (Martin – 1989) são os melhores. Da fase Ozzy não sou muito fã, apesar de ter conhecimento de que Black Sabbath e Paranoid (ambos de 1970) são grandes álbuns (instrumentalmente falando). A banda de Tony Iommi voltou à ativa no ano passado com o lançamento do aguardadíssimo “13”, décimo nono disco da banda. Mantendo a formação original (exceto pelo batera Bill Ward, que não topou a “volta” por motivos de que ganharia menos que seus companheiros), o retorno trouxe de volta Ozzy nos vocais (que não gravava com o Black Sabbath desde 1978), Iommi na guitarra e Geezer Butler no baixo. O baterista Brad Wilk (Rage Against The Machine, Audioslave) assumiu as baquetas. A banda tocou por aqui em outubro passado e superou as expectativas!




Ramones – O quarteto americano criado em Nova York no ano de 1974 é sem dúvida um dos nomes mais importantes do punk rock. Pioneiros nessa vertente, assim como o Black Sabbath também passaram por diversas formações, porém mantendo sempre o mesmo vocalista, o carismático Joe Ramone e o guitarra, Johnny Ramone. Influenciados por diversas bandas sessentistas como Doors, Beatles e Kinks, e por bandas do cenário proto punk e surf rock como MC5 e Beach Boys respectivamente, fica evidente a presença desses elementos nas composições dos caras. Nomes consagrados do punk rock como Sex Pistols, Clash, Dead Kennedys e Bad Religion são apenas alguns exemplos de bandas que sofreram forte influência do Ramones. Com 14 álbuns de estúdio gravados, destaco como os melhores Ramones (1976), Rocket to Russia (1977), Brain Drain (1989) e Mondo Bizarro (1992). Infelizmente a banda encerrou as atividades em 1996, devido a problemas de convivência entre os caras e também pela doença de Joey, que viria a morrer em abril de 2001 vítima  de câncer linfático. Apesar de existirem bandas muito boas nesse cenário ainda em atividade, o Ramones certamente deixou milhares de fãs órfãos, e sem dúvida escreveu seu nome brilhantemente na história da música. 

Plebe Rude – Representantes do rock brasileiro, o quarteto de Brasília formado na década mais importante para o rock nacional – os saudosos anos 80 – sempre trouxe em suas letras temas politizados que refletiam uma geração ainda calada pela censura. Com influências que iam do punk a MPB, o grupo que nunca gravou sequer uma música falando de amor lançou ao todo 7 álbuns (entre trabalhos de estúdio e ao vivo), muito bem executados mostrando do que uma boa banda brazuca é capaz, e destaco O Concreto Já Rachou (álbum de estreia, produzido por Herbert Vianna – 1985), Nunca Fomos Tão Brasileiros (1987) e o ao vivo Enquanto a Trégua Não Vem (que marca a volta da banda depois de 6 anos sem gravar – 2000), como os que mais aprecio.  A história dos caras é marcada por idas e vindas e momentos conturbados (que o baixista André X relatou com detalhes  em seu blog), e de fato o que mais senti, assim como muitos fãs, foi a saída do guitarrista Jander Bilaphra, sendo substituído pelo não menos talentoso Clemente (Inocentes). Mas a vida continua e a banda de Philippe Seabra também, fazendo vários shows pelo país com a turnê Rachando Concreto, do trabalho mais recente dos caras, o álbum ao vivo Rachando Concreto: Ao Vivo em Brasília, de 2011. E viva o (bom) rock nacional! 


Rival Sons – A banda californiana fica na categoria do que há de (muito) bom musicalmente na atualidade, na listinha dos quartetos incríveis. Formado em 2008 (!) o grupo tem apenas três álbuns gravados e o mais recente, Head Down (2012) sem dúvida é o melhor. As faixas  Keep On SwingingWild AnimalUntil the Sun ComesRun from Revelation  e All the Way   são simplesmente de cair o queixo. A influência do quarteto nota-se claramente que está no classic rock , de Led Zeppelin a Lynyrd Skynyrd, passando por Doors e The Who, e todas os grupos  da época em que só se sabia fazer coisa boa. Mas a banda de Jay Buchanan tem personalidade e finca sua identidade nesse que é o melhor disco da banda, até então. Atualmente os caras estão em turnê pelos EUA e Canadá, passando depois pela Europa. E ficamos na expectativa de que venham pra cá!






*Postado originalmente em Cadê Meu Whiskey

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...