The Killers: banda divulga teaser de novo single em código morse

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:51

0


The Killers soltou um teaser de seu novo single “Shot At The Night” através de uma mensagem em código Morse no twitter oficial da banda. Muitos acreditam que significa “Shot At The Night”, a nova faixa  da banda que foi gravada com Anthony Gonzalez, do M83. Uma mensagem similar foi divulgada no facebook há uns dias. Parece que vem novidade por aí.

Testament: confira prévia do novo DVD

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:42

0



Dark Roots Of Thrash tem lançamento previsto para 11 de outubro.

Confira "Rise Up"




Veja o clipe de “The Final Countdown”, presente no novo DVD do Europe

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:37

0



“The Final Countdown” é parte de  Live At Sweden Rock - 30th Anniversary Show que tem data de lançamento previsto nos formatos  Blu-ray, DVD e CD duplo para 16 de outubro.

Confira:






Bruce Dickinson confirmado na Campus Party 2014

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:32

0



O vocalista da banda Iron Maiden, Bruce Dickinson, confirmou sua presença no evento Campus Party 2014, onde compartilhará com os campuseiros sua experiência na criação de empresas. Falará sobre os paralelos entre a sua música e o mundo dos negócios, além de oferecer exemplos de gerenciamento de equipe.

O evento acontecerá de 27 de janeiro a 2 de fevereiro no Anhembi, em São Paulo.

Beatles: divulgado detalhes de On Air - Live At The BBC Volume 2

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:17

0



Com lançamento previsto para 11 de novembro, o aguardado "On Air – Live At The BBC Volume 2" dos Beatles, gravado entre 1963 e 1965, já está em pré-venda em sites internacionais

O álbum trará as versões em vinil e CD duplo, mais um livreto de 48 páginas. São 63 faixas, sendo 37 delas performances inéditas da banda e 23 gravações de estúdio que contam com conversas e brincadeiras entre os integrantes. "Há uma grande quantidade de energia. Tentamos mostrar o melhor desempenho de nossas vidas ", garantiu o ex-Beatle, Paul McCartney.

Confira o tracklist:

CD 1

1. And Here We Are Again (Conversa)
2. Words Of Love
3. How About It, Gorgeous? (Conversa)
4. Do You Want To Know a Secret
5. Lucille
6. Hey, Paul… (Conversa)
7. Anna (Go To Him)
8. Hello! (Conversa)
9. Please Please Me
10. Misery
11. I’m Talking About You
12. A Real Treat (Conversa)
13. Boys
14. Absolutely Fab (Conversa)
15. Chains
16. Ask Me Why
17. Till There Was You
18. Lend Me Your Comb
19. Lower 5E (Conversa)
20. The Hippy Hippy Shake
21. Roll Over Beethoven
22. There's a Place
24. P.S. I Love You
25. Please Mister Postman
26. Beautiful Dreamer
27. Devil in Her Heart
28. The 49 Weeks (Conversa)
29. Sure To Fall (In Love With You)
30. Never Mind, Eh? (Conversa)
31. Twist And Shout
32. Bye, Bye (Conversa)
33. John - Pop Profile (Conversa)
34. George - Pop Profile (Conversa)

CD 2

1. I Saw Her Standing There
2. Glad All Over
3. Lift Lid Again (Conversa)
4. I’ll Get You
5. She Loves You
6. Memphis, Tennessee
7. Happy Birthday Dear Saturday Club
8. Now Hush, Hush (Conversa)
9. From Me To You
10. Money (That's What I Want)
11. I Want To Hold Your Hand
12. Brian Bathtubes (Conversa)
13. This Boy
14. If I Wasn’t In America (Conversa)
15. I Got a Woman
16. Long Tall Sally
17. If I Fell
18. A Hard Job Writing Them (Conversa)
19. And I Love Her
20. Oh, Can’t We? Yes We Can (Conversa)
21. You Can't Do That
22. Honey Don't
23. I’ll Follow The Sun
24. Green With Black Shutters (Conversa)
25. Kansas City/Hey-Hey-Hey-Hey!
26. That’s What We’re Here For (Conversa)
27. I Fell Fine
28. Paul - Pop Profile (Conversa)
29. Ringo - Pop Profile (Conversa)


Ouça “Beautiful War”, nova música do Kings of Leon

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:03

0


“Beautiful War” é parte do álbum Mechanical Bull, que tem lançamento previsto para 24 de setembro. A banda apresentou a nova música ao vivo no BBC Radio 1 Live Lounge.

Confira:




Jimi Hendrix: documentário deve sair em novembro

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:56

0



 “Jimi Hendrix: Hear My Train A Comin” um novo documentário sobre o músico, tem lançamento previsto para 5 de novembro. Dirigido por  por Bob Smeaton, que já trabalhou em outras produções sobre o guitarrista, o documentário apresenta imagens  inéditas de shows, vídeos caseiros, fotografias, desenhos, cartas e entrevistas com Hendrix e seus admiradores, como Paul McCartney, Mitch Mitchell e Steve Winwood. 

Segundo a irmã de Jimi, Janie Hendrix, o documentário é um “olhar profundo na vida e no legado de Jimi pelas suas próprias palavras, assim como pelas palavras e memórias daqueles conheciam ele bem e eram próximos a ele”.

Também serão lançados junto ao documentário  um CD e um vinil com a gravação da  performance de Jimi no Miami Pop Festival (1968) feita pelo seu engenheiro de som na época, Eddie Kramer. 

Confira o trailer:





David Bowie e Arctic Monkeys indicados ao Mercury Prize 2013

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:50

0



David Bowie e a banda Arctic Monkeys são alguns dos indicados ao prêmio Mercury Prize, a mais importante premiação da música britânica 
que escolhe o álbum do ano de acordo com críticos e pessoas relacionadas à indústria musical. 

Nomes como Primal ScreamSuedePulpFranz Ferdinand e os próprios Arctic Monkeys já faturaram em edições anteriores. O vencedor será anunciado em 30 de Outubro e, além do prêmio, ganhará um total de 20 mil libras.

E aí, qual o seu favorito?

Kyuss ainda vive em nossos corações de pedra.

Posted by João Carlos Martins | Posted in , | Posted on 10:06

0

Para começar a coluna de hoje gostaria de ser sincero e dizer que enquanto a escrevia ouvia Arctic Monkeys ((glup)). Sim, eu sei que posso ser considerado um herege blasfemador, mas tenho minhas justificativas. Os colunistas que trabalham nesse blog, muito bons diga-se de passagem, escrevem sobre música em geral, é MUSICA! E eu estava ouvindo a nova dos macacos, cujo o qual você pode ler aqui, e lembrei, "por que não ouvir aquela beleza que foi o Hambug?" afinal de contas ele é um excelente trabalho e para quem não sabe nosso querido e malvado Josh Homme produziu-os nesse álbum em meio ao seu deserto particular trazendo uma soturnidade ímpar àqueles macaquinhos que em outrora cantavam feito bestas desvairadas.
PS. Eu gosto da Cornerstone.

MUITO BOA QUINTA JOVENS E EX-JOVENS!
Começará a partir daqui mais uma caverna de John (aplausos).
Hoje iremos conversar sobre culinária... não, melhor... para variar um pouco vamos falar de STONERRRRRRRR!
O tema que será abordado creio que até demorei demais para fazer uma coluna sobre, afinal em quase todos os posts o citei como referência/influência, que participou, que é isso e aquilo, mas não havia ainda dado espaço para brilhar por holofotes próprios. Essa banda de hoje me veio a ideia - vão ver que o que eu disse lá em cima é plausível - por conta de outra banda, e aí você me pergunta: "Mas que banda é essa tão influenciadora tio John?" e eu respondo com todo o prazer, ARCTIC MONKEYS. "Oh! Mas como assim?" Sim Arctic Monkeys, se estão pensando que o som que eles fazem não tem nada a ver com Stoner, estão muito certos, pois não tem nada mesmo, porém eu comecei a ouvir o Hambug e lembrei que o Josh Homme o produziu, e lembrei que deveria fazer uma coluna falando do novo do QOTSA o ...Like a clockwork e lembrei que já fiz uma deles, mas que priorizava o disco de 2002 Songs for the deaf e que antes desse disco eles tiveram dois outros em que um deles continha uma canção chamada If Only e que essa música inicialmente foi lançada num split-album do QOTSA com o KYUSS, anteriormente chamada de If only everything e que o Kyuss foi a primeira banda em que Josh Homme participou como guitarrista e que KYUSS É FODA! E ainda não falei nada sobre eles aqui. Entenderam? 


Pois bem, a banda Kyuss é um pouco difícil de apresentar, porque por lá teve tanta gente que até o nome já teve que mudar, hoje em dia carinhosamente chama-se Kyuss Lives, más línguas dizem que por questões judiciais esse é o nome atualmente. Vou citar aqui a formação do primeiro disco dos californianos, já que é dele que vamos falar:  John Garcia (Vocal e por sinal até hoje está na banda depois de muitas idas e vindas), Josh Homme (Guitarra), Nick Oliveri (Baixo, o mesmo de Garcia) e Brant Bjork (Bateria, o mesmo de Nick). Notadamente algumas figurinhas carimbadas da história do Stoner saíram daí. Apenas Josh não participa da nova empreitada com o hoje chamado Kyuss Lives, que até tocou no Brasil em 2012 junto do Red Fang no festival Porão do Rock e infelizmente não pude ver... Enfim, não sejamos viúvas que choram a vida toda, hoje o assunto é Wretch de 1991.



Para mim ele é uma das obras primas mais alucinantes que já tive o prazer de conhecer, simplesmente pesado ao extremo com faixas arrebatadoras que qualquer um, mesmo não conhecedor do gênero, mas que curta um bom Rock se rende a extremidade do som. John com sua voz peculiaríssima, Josh segurando bem nos riffões característicos de qualquer Sabbathiano, Nick seguindo sua linha no baixo as vezes intercalando com passagens mais aceleradas e Bjork com toda aquela agressividade que se precisa ter.
Esse álbum foi o escolhido, porque foi o primeiro da banda e o primeiro que ouvi dos caras assim que ouvi falar deles.
Vamos começar pelo começo então. Para se ter uma prévia do que a banda estava disposta a ser já vale a pena começar ouvindo a primeira faixa Beginning of what's about to happen. 



Ela parece não ter essa coisa de uma "introduçãozinha" para depois começar de verdade, ela já começa arregaçando tudo e quando eu a escuto me imagino no meio de uma pancadaria generalizada de um vulgarmente chamado bate-cabeça.
Em seguida temos Love has passed me by que é muito interessante, mas eu a vejo muito mais como tapete vermelho que forra uma das mais impactantes do álbum, muito pela sonoridade mais soturna e pesada lembrando bandas como Corrosion of Conformity, Orange Goblin, Eyehategod e et cetera, que fazem (iam) em algumas faixas uma pegada meio Stoner/Sludge/Doom. Essa canção é um nome que estamos muito habituados a falar em nosso idioma, trata-se de Son of a bitch. Vamos ouvir as duas e aí você tira sua conclusão se realmente o que eu disse faz sentido. 



 
                                        Love has passed me by


                                                Son of a bitch

Black Window vem na sequência e como no caso anterior eu a vejo como uma grande anfitriã, quiçá uma grande recepcionista das próximas quatro atrações, isso mesmo espantado leitor QUATRO! Os caras são incríveis, claro que hoje nem tanto quanto antes, e no meu ponto de vista igual ou melhor que esse álbum não houve, pois quando se fala de Stoner, de fato, não há exagero nenhum em dizer que eles é quem fundamentaram o gênero. As quatro faixas que menciono são: Katzenjammer (que apesar do estranhíssimo nome para nós e também para uma banda americana é, "etmolóligcamente" falando, alemã e tem entre seus significados o de ressaca, que acho ser o mais apropriado quando o assunto são bandas de Rock.); Deadly Kiss, essa que segue o mesmo estilo anterior e também da primeira citada, ou seja, não tem frescura, é paulada do início ao fim; The Law, para mim a melhor da banda, já que entra com um riff muito louco que se repete, mas por ser tão diferente não parece estar sendo repetido e com a ressalva de que quem ouve, tendo conhecimento do que Josh Homme faz hoje em sua banda, nunca diria que ele é o guitarrista a fazer aquilo; e Isolation, também "temivel e impressionante" encerrando assim o quarteto fantástico desse LP.
(Para não ter que ouvir de uma a uma, no fim colocarei a janela com o álbum completo, aguardem!)

I'm not inicia numa veia um pouco diferenciada das anteriores e como já disse anteriormente, John Garcia é realmente um cara ímpar no jeito de cantar, sua singularidade em cada música torna um disco de onze faixas como uma excelente coletânea, embora eu não goste muito delas há de se dar o braço a torcer pois elas recolhem aquilo que as bandas têm de melhor.
E por fim Big bikes e Stage III, falo das duas na mesma ideia, porque a primeira tem o seu valor, contudo interage em gênero, número e grau com a que vem em sequência, pois é um instrumental onde há uma conversa direta com a sonoridade de sua antecessora. 



Aqui poderá soltar o play no álbum completo para ver que não estou mentindo em nenhuma das afirmações acima.

Observações:

⦁    A banda Kyuss, devido a seus muitos inícios e fins, proporcionou ao mundo do Stoner muitas outras que são tão importantes e influentes como ela. Desde a mais popular do meio a aclamadíssima Queens of the Stone Age, a nem tão famosa Mondo Generator (tem Nick Oliveri como band leader) e as nada famosas Hermano, Slo Burn e uma bem recente chamada Monkey3, que é bem diferente dessas (bandas de John Garcia) e Che (banda de Brant Bjork que teve apenas um álbum lançado, mas que ainda vive nas apresentações solo do baterista, nessa banda sendo o Guitarra/vocal de um power trio).


⦁    A faixa Katzenjammer fora o nome de batismo da banda, contudo após a saida de Chris Cockrell o até então baixista o nome foi alterado para Kyuss. O ex-baixista participou apenas de um EP lançado em 1990 conhecido como Sons of Kyuss, daí o nome.


⦁    O nome Kyuss deu-se devido a um jogo de RPG chamado Dungeons & Dragons, do qual não tenho conhecimento em nada já que não entendo nada de video-games, e que nesse jogo havia uma criatura conhecida como Son of Kyuss, algo parecido com uma múmia cheia de vermes e que, obviamente, é filho de um tal de Kyuss, um semideus dessa cultura. Algo bastante NERD eu diria.


E com isso terminamos o papo de hoje. As fontes estão por aí é só procurar que vão confirmar tudo o que está escrito.


Até mais!

Andi Deris: mixagem e masterização do novo disco do Bad Bankers finalizada

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:07

0


Andi Deris (Helloween) revelou que o seu próximo álbum com o Bad Bankers está finalizado. “Terminamos mixagem e masterização. Estamos muito felizes com o resultado, mal podemos esperar para que todos ouçam. É um som moderno, mas nem tanto. Soa como deveria aos meus humildes ouvidos”.




Bon Jovi: baterista passa por cirurgia de emergência e show no México é adiado

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:04

0



O baterista do Bon Jovi, Tico Torres foi submetido a uma cirurgia de emergência e o show que estava  marcado para a última terça-feira, 10, no México foi adiado.  De acordo com o site oficial da banda, Torres passou por uma apendicectomia, um procedimento cirúrgico que consiste na remoção do apêndice vermicular.

As assessorias das apresentações da banda no Brasil (no Rock in Rio e São Paulo), confirmaram que as performances serão mantidas.



Assista "Alone In Heaven", novo clipe do Sonata Arctica

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:57

0


Alone In Heaven é parte do álbum "Stones Grow Her Name”, lançado em Maio de 2012.

Confira:


Mamonas Assassinas: filme será lançado em 2016

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:54

0



De acordo com a coluna Outro Canal do jornal Folha de S. Paulo, o estúdio Fox está preparando um filme sobre a banda Mamonas Assassinas. As filmagens começarão em 2015 e a estreia está prevista para 2016, 20 anos depois  do acidente fatal que colocou fim à banda.
Por enquanto a história será estrelada por Rodrigo Faro, como o vocalista Dinho e a direção deve ficar com Cláudio Kahns, que dirigiu o documentário Mamonas Para Sempre.
O Mamonas Assassinas iniciou carreira em 1995, depois de alguns anos de atividade com a banda Utopia. Eles chegaram ao sucesso o disco Mamonas Assassinas, mas morreram em um acidente de avião no dia 2 de março de 1996.


Halestorm revela tracklist do novo EP de covers

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:36

0



O EP "ReAniMate 2.0: The CoVeRs" tem previsão de lançamento para 15 de outubro. 
Confira o tracklist:
1. Dissident Aggressor (Judas Priest)
2. Get Lucky (Daft Punk)
3. Shoot to Thrill (AC/DC)
4. Hell is for Children (Pat Benatar)
5. Gold Dust Women (Fleetwood Mac)
6. 1996 (Marylin Manson)

Nova música do Arcade Fire traz participação de David Bowie

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:04

0



A página oficial do Facebook de David Bowie confirmou a participação  do cantor na nova música da banda Arcade Fire. "Podemos confirmar que David Bowie fez um pequeno backing vocal na faixa produzida por James Murphy (LCD Soundsystem).”

A música foi lançada ontem e tem versão limitada em vinil. Veja o vídeo aqui.


Detalhes do álbum ao vivo de Jimi Hendrix

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:59

0


O álbum "Miami Pop Festival" traz o show do Jimi Hendrix Experience no realizado em 18 de maio de 1968. Foram dois shows do trio no mesmo dia. Confira o tracklist:
01. Introduction
02. Hey Joe
03. Foxey Lady
04. Tax Free
05. Fire
06. Hear My Train A Comin’
07. I Don’t Live Today
08. Red House
09. Purple Haze
Bonus Performances From Afternoon Show
10. Fire
11. Foxey Lady

"Survivor": rock n' roll de festa no debut

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 20:43

0

--->>> A primeira impressão é a que fica: Survivor - Survivor (1979)

Carlos H. Silva

O Survivor foi uma das grandes bandas da cena AOR Melodic/Hard Rock dos anos 80 (gênero em que bandas de hard rock/progressivo misturavam seu som com a influência do AOR de FM da WestCoast americana) com hits como Eye of the Tiger, Burning Heart ou High on You e álbuns como Vital Signs e Eye of the Tiger.

Mas a estreia em disco dos caras também é digna de nota. Survivor foi lançado em junho de 1979, com Dave Bickler no vocal, Frank Sullivan e Jim Peterik nas guitarras, Dennis Johnson no baixo e Gary Smith na bateria. Os dois últimos, aliás, tem aqui seu único trabalho registrado com a banda. Ron Nevison e Barry Mraz trabalharam na produção.



O disco não foi feito sem dificuldades. Tudo foi supervisionado por John Kalodner, da gravadora Scotti Bros. Primeiro, Ron Nevison substituiu Barry Mraz na produção e aí o projeto acabou nas mãos de Bruce Fairbairn para a mixagem. O processo todo durou oito meses.

Musicalmente, o Survivor já mostra o poder radiofônico que a banda teria nos anos seguintes. Com melodias fortes e riffs certeiros, além dos refrãos memoráveis à primeira ouvida, o debut é cativante do início ao fim.

Somewhere in America foi uma ótima escolha de abertura, pois apesar de lenta, tem melodias de sobra e um clima meio Kiss/festeiro em determinados momentos.  Can’t Getcha Offa my Mind já traz os teclados do AOR. Let It Be Now é uma das mais rockers do trabalho.


Youngblood já antecipava Eye of the Tiger em alguns anos. Com uma introdução apocalíptica e em clima de guerra, é uma das melhores faixas do trabalho junto com As Soon As Love Finds Me.

Um grande destaque é para o vocalista Dave Bickler que sempre foi um daqueles caras que passam mais emoção do que técnica. Sua voz em alguns momentos lembra de longe - eu disse "lembra" - Paul Stanley, o que só ajuda no clima rock 'n' roll de festa do álbum como em 20/20, ou em momentos mais marotos como Freelance.


A antecipação ao clima AOR dos anos 80 do conjunto já se fazia presente também como na canção Whatever It Takes.

Uma canção chamada Rockin’ into the Night foi rejeitada pelo produtor Ron Nevison e então a faixa foi dada ao .38 Special, que a transformou em hit. A versão gravada pelo Survivor só viu a luz do dia em 2004, na coletânea Ultimate Survivor.

A composição Rebel Girl foi gravado cerca de um ano depois deste lançamento e aparece na versão japonesa como sexta faixa. O relançamento de 2010 coloca a canção como faixa bônus.

Embora não tenha emplacado, ficando somente na 169 do Top 200 da Billboard, Survivor já mostrava o poder de riffs e melodias do quinteto comandado por Frankie Sullivan. Não à toa, daqui em diante a banda só cresceu e cresceu.


40 minutos de puro rock ‘n’ roll festeiro.


  • Somewhere in America
  • Can't Getcha Offa My Mind
  • Let It Be Now
  • As Soon As Love Finds Me
  • Youngblood
  • Love Has Got Me
  • Whole Town's Talkin'
  • 20/20
  • Freelance
  • Nothing Can Shake Me (From Your Love)
  • Whatever It Takes
  • Rebel Girl

Sepultura: assista trailer do novo trabalho

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 19:26

0

O Sepultura divulgou o primeiro trailer de seu novo álbum, The Mediator Between Head and Hands Must be the Heart.

Veja:







Dream Theater: ouça nova canção inédita!

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 19:13

0

Along for the Ride fará parte de Dream Theater, novo álbum da banda com lançamento previsto ainda para o mês de setembro.



Você pode ouvir clicando aqui.



Assista ao novo clipe do Franz Ferdinand, "Evil Eye"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:37

0



 “Evil Eye”, é parte do álbum Right Thoughts, Right Words, Right Action e teve direção de Diamond Martel.

Confira:



Scorpions lançará músicas novas esta semana

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:58

0


A banda lançará músicas novas em shows da série MTV UNPLUGGED a céu aberto no Teatro Lycabettus em Atenas, nos dias 11, 12 e 14 deste mês.
“Claro que tocaremos muitos dos clássicos dos Scorpions, mas também revisitaremos muitas das músicas que queríamos tocar do passado, mas não tivemos a oportunidade”, reveleou o baterista James Kottak ao site Rock Overdose. “Também estrearemos algumas canções totalmente novas!! Estamos muito empolgados!”
“MTV Unplugged – Scorpions Live In Athens” será lançado em CD, DVD e Blu-ray no fim do ano. A MTV transmitirá o show antes da comercialização gratuitamente na Alemanha pelo VIVA.




Killer Dwarfs lança álbum de 93

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:50

0


A banda Killer Dwarfs pretende se reunir para fazer a turnê de divulgação de "Start @ One", álbum gravado originalmente em 1993, mas que não chegou a ser lançado.
O álbum está disponível nos formatos digital e físico.
Confira o tracklist:
01. Lonely Road
02. Solid Ground
03. Sky is Falling
04. Adelina
05. Psycho Circus
06. Start @ One
07. Down in Hollywood
08. Walk on By
09. The Crowd

Músico Champignon é encontrado morto

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 07:43

0

Champignon, 35, foi encontrado morto em seu apartamento na região da Zona Oeste, em São Paulo. 

Segundo informações do portal Uol, o vizinho do músico ouviu um disparo seguido de gritos no apartamento do ex-baixista do Charlie Brown Jr., chegando lá, acalmou sua esposa e encontrou o músico caído com um disparo no rosto e um revolver na mão.

A polícia limitou-se a informar que trabalha na hipótese de suicídio.


Luiz Carlos Leão Duarte Júnior, seu nome verdadeiro, é um dos membros originais do Charlie Brown Jr., banda que já sofreu com uma morte este ano, a de seu líder Chorão, em março. Champignon esteve fora da banda na segunda metade da última década, mas voltou há dois anos e continua programado para este mês o lançamento do disco de inéditas La Familia 013, álbum póstumo do quinteto santista.

Atualmente o ex-baixista assumiu o vocal da banda A Banca, projeto que montou com o restante da formação do Charlie Brown Jr. após a morte de Chorão.



Who are you? Who-who, who-who.

Posted by João Carlos Martins | Posted in | Posted on 21:46

0


Dando uma fuçada aqui no blog lembrei que temos uma coluna chamada "Toca na Redação!" e que por lá já passou tanta coisa maneira como Sepultura, Blues Traveler, Slipknot e Ed Motta. E então pensei, POXA! Só eu ainda não escrevi... e vendo as regras eu me enquadro nos pré-requisitos.
A minha escolhida é uma que toca na redação em qualquer situação, é minha banda de cabeceira, a que me inspirou a criar meu username no twitter, a banda é... THE WHO!



Apresentando: Roger Daltrey (Vocal), Pete Townshend (Guitarra/vocais), John Entwistle (Baixo/metais/vocais) e Keith Moon (Bateria/vocais).

Simplesmente adoro essa banda, por razões que não são tão óbvias quanto podem parecer, afinal o Who não tem a cara das bandas que estou acostumado a falar na Caverna de John. Trata-se de um clássico e todos nós, independente do rótulo que carregamos, ou até mesmo no que diz respeito aos gêneros que nos estereotipam, temos aquelas bandas que nos inseriram no mundo do verdadeiro Rock e no meu caso o Who foi essa. Já tive a oportunidade, antes mesmo desse blog ser colocado em prática, de falar sobre eles em outro projeto que nosso amigo Carlão tem, e lá eu falei dos álbuns mais aclamados (no meu ponto de vista), os que mais gosto, porque gosto, como conheci e etc., aqui eu vou falar brevemente disso e em seguida soltar o play.




Minha história com o Who, resumidamente, começa assim: Conheci num programa da MTV de clipes, estavam tocando My Generation e o que mais me impressionou foi aquela quebradeira tradiocional que eles faziam, além da musicalidade excelente dos rapazes é claro. John Entwistle é meu baixista favorito de todos os tempos, meu álbum favorito é o Who's Next, minha canção favorita, pode variar, as vezes é Boris the spider outras vezes My Wife em outros casos The real me, e por aí vai, pois sabemos que citar uma única faixa não é tarefa das mais fáceis. Ah! E confesso que meu lado poser ocorreu quando eu só conhecia três canções e já tinha comprado três camisetas dizendo ser fã. Enfim, depois de tudo isso espero poder falar do que está Tocando na Redação! O que irei falar hoje é o estranho The Who by numbers.

É um álbum de 1975 e quando eu disse estranho entenda que eles tinham desde seu segundo disco tentado engrenar com álbuns conceituais e Operas Rock, casos de A quick one, The Who sell out, o excelente Tommy e o não menos magnífico Quadrophenia. E em meio a esses havia um tal chamado Who's Next que dizem ter sido um catado de um monte de canções que deveriam ter sido lançadas em álbuns anteriores mas não tiveram espaço, algumas dessas canções eram SÓ os hits Won't get fooled again, Teenage Wasteland e a mais famosa e a mais odiada (por mim) deles Behind blue eyes¹, além das nem tão famosas como Bargain, My wife e Getting in tune. Voltando ao by numbers, a estranhesa dá-se porque ele não é conceitual, não é uma opera, não é tão bombástico, não é tão nada, pode ser que tenha sido lançado só pra desestressar, embora não tenha perdido em nenhum aspecto aquela cara de Who, que não era por conta de um personagem ou outro, mas sim o quarteto como um todo - com a ressalva que nesse Nick Hopkins tocou piano - o peso dado por John no seu estilo de bass-guitar, a velocidade e insanidade da bateria de Keith, a excentricidade e singularidade de Pete em seus acordes "cataventos" e suas letras e sem esquecer de Roger com sua interpretação sempre inusitada.

¹ Meu ódio pela faixa Behind blue eyes é unicamente porque toda vez que a escuto lembro daquela bela porcaria que o Limp Bizkt fez, mas tenho plena convicção que é uma das mais belas canções já entoadas na história do Rock.

O álbum não tem nenhum single, hit, se quer deva ser fonte de influência para quem quer que seja. O ápice dele é talvez a capa, que inteligentemente desenhada por John, se ligado os pontos forma o desenho deles mesmo.

Aí você vai se questionar "Ué! Mas porque ele está falando desse disco se ele não tem nada de tão impressionante?" e é aí que você se engana. As canções que estão nesse álbum são lindíssimas e ao ouvi-las você as sente conectadas umas as outras como se fossem pontinhos numerados, onde não podemos querer pular para a #3 antes de ouvir a #2 e assim por diante.
Eu particularmente adoro essa banda, adoro esse álbum, tenho uma camiseta dele, tenho ele... realmente eu gosto do Who.
 

Fique com os nomes das canções. E ouça também.

Clique aqui e ouça-o completo

1. Slip kid
2. However much I booze
3. Squeeze box
4. Dreaming from the waist
5. Imagine a man*
6. Success Story*
7. They are all in love*
8. Blue red and grey
9. How many friends
10. In a hand or a face*



*Piano: Nick Hopkins

Até a próxima!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...