Queensrÿche: na frequê... opa, no caminho certo!

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 21:24

0

Carlos H. Silva

Quando uma banda perde uma de suas marcas registradas, há sempre duas opções: achar outra que seja parecida ou partir do zero com algo completamente diferente. O Queensrÿche optou pela primeira opção.

O novo vocalista, Todd La Torre, que substituiu o já lendário – e problemático – Geoff Tate, saiu-se muito bem no novo e autointitulado disco da banda; porém, seguiu a mesma linha de Tate nos timbres e abordagens das canções.

Vale lembrar que tanto o ex-vocalista quanto a banda estão usando o nome Queensrÿche, então não confundir este lançamento com o feito pelo Queensrÿche de Geoff Tate no mês passado, cuja resenha você pode ler clicando aqui.

Queensrÿche (via Century Media, produzido por James Barton) chega para mostrar como Michael Wilton (guitarra), Eddie Jackson (baixo) e Scott Rockenfield (bateria) – junto com Parken Lundgren (guitarra) – vêem a banda sem Geoff.



O resultado é uma tentativa de voltar ao metal progressivo do passado, que em certos momentos chega a ser empolgante. O grande destaque é o baterista que imprime uma pegada tribal em todo o álbum, com viradas e batidas certeiras que em certos momentos você até pensa: “Igor Cavalera faria a mesma coisa aqui”. As ótimas Where Dreams Go To Die e Spore mostram bem isso, assim como a similaridade do novo com o velho vocalista.

In This Light carrega um pouco daquele clima dramático que a banda tem junto com o som trabalhado da banda – e Rockenfield continua destruindo. Redemption foi a primeira faixa divulgada e foi bem escolhida, mostra exatamente o que a fase atual da banda é: pesada, progressiva, distante daquele rock mais básico dos últimos discos e com um novo vocalista que emula o anterior. Grande canção.


As rápidas e pesadas Vindication (grande trabalho instrumental!) e Don’t Look Back tem tudo para animar os fãs mais “metal” do Queensrÿche, enquanto Open Road e A World Without fazem mais aquela linha balada progressiva.


Queensrÿche não é nenhuma obra de arte, mas com certeza, sem fazer citações diretas, fica em uma freqüência mais conhecida e agradável do que outras desconhecidas que ouvimos por aí recentemente. Um disco regular, agradável de ouvir e capaz de mostrar que a atual formação da banda pode render bem mais no futuro com esse retorno às origens mais pesadas e progressivas.

E que performance do baterista Scott Rockenfield, que não só destruiu nas baquetas como é autor ou co-autor da maioria das faixas aqui presentes.

Nota: 7.5


01.X 2 
02.Where Dreams Go To Die 
03.Spore 
04.In This Light 
05.Redemption 
06.Vindication 
07.Midnight Lullaby 
08.A World Without 
09.Don't Look Back 
10.Fallout 
11.Open Road

Jon Oliva: alma do Savatage em ótima estreia solo

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 19:57

0

Carlos H. Silva

Jon Oliva, a alma do Savatage, finalmente lança seu primeiro álbum solo. Apesar de ter comandado o Savatage e, logo após, o excelente Jon Oliva’s Pain, o americano nunca havia lançado um disco sob o seu nome.

Raise the Curtain tem o selo Oliva de talento e o que ouvimos pelas 11 faixas do lançamento (12 com bônus) é aquele prog rock festivo e teatral que fez fama nas duas bandas já citadas.



A banda que acompanha Jon é formada pelo tecladista John Zahner, o baixista Kevin Rothney, pelo baterista Christopher Kinder e pelos guitarristas Shane French e Matt La Porte.

A pergunta que fica é: se Jon era a mente do Savatage e do Jon Oliva’s Pain, banda que já leva seu nome, o que podemos esperar de diferente em um trabalho solo? Será que não seria mais do mesmo? E a resposta é não.

Embora dê para sacar sim, como já afirmei no início, aquele velho prog rock teatral e festivo de suas outras bandas, Raise the Curtain tem uma cara, um estilo de disco solo. É simplesmente Jon Oliva mostrando todas as suas influências, sem barreiras.

A faixa-título é uma obra e tanto, excelente tema de abertura. Um prog totalmente setentista, quase circense, especialmente com um ótimo som de hammond que, aliás, permeia por todo o álbum.  Didive o posto de melhor com Stalker, com ótimas mudanças de andamento. Father Time tem guitarras soltas, empolgantes, e foi uma a primeira a ser divulgada.


Soul Chaser, talvez a que mais lembre o Savatage antigo, Ten Years, com ótimas sessões de sopro, e The Witch também merecem destaque especial. E Jon, que sempre foi um ótimo compositor de baladas, mostra que está afiado na emocionante Can’t Get Away.

Riffs, solos, batidas, refrãos, fraseados, linhas vocais, tudo em perfeita sincronia. Sem exageros, sem falta e nem sobra. Um disco redondo.


O sentimento que fica após o término é ótimo: dá para imaginar Jon tocando esse play todo ao vivo, sentado atrás de seu teclado; o tempo nem passa, as canções são todas boas e empolgam.

Nota: 8.5

1. Raise The Curtain
2. Soul Chaser
3. Ten Years
4. Father Time
5. I Know
6. Big Brother
7. Armageddon
8. Soldier
9. Stalker
10. The Witch
11. Can’t Get Away
12. The Truth (bonus track)

Iron Maiden: Começa a pré-venda da cerveja Trooper no Brasil

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:54

0


Finalmente começa a venda da Trooper, a Cerveja Oficial do Iron Maiden no Brasil! A Cerveja Store, a maior loja online brasileira de cervejas premium é a primeira a comercializar no país a bebida desenvolvida pelo vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson, famoso por ser um “beer lover” e apreciador, em especial, da cerveja inglesa tradicional.


O consumidor pode começar a fazer reservas para o primeiro lote, de 2.500 garrafas, que será vendido em pacotes de 3, 6, 8 ou 12 unidades, com preços a partir dos R$ 59,90.


Dream Theater anuncia detalhes do novo álbum

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:15

0



O Dream Theater divulgou informações do seu novo álbum, gravado em Nova Iorque. O CD, que tem lançamento marcado para o dia 24 de Setembro, leva o nome da banda.
“Dream Theater” foi produzido pelo guitarrista da banda, John Petrucci, e contou com Richard Chycki (Aerosmith, Rush) na engenharia e mixagem de som. O CD é o primeiro a ter Mike Mangini totalmente integrado no processo de composição.
“Nós estamos incrivelmente animados com “Dream Theater” e mal podemos esperar para que todos escutem”, diz Petrucci. 
A banda também declarou que uma turnê mundial para promover o álbum será anunciada em breve.

Fonte: Wikimetal

Lou Reed:"MP3? Tremenda porcaria"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:02

0



Lou Reed, que recentemente foi submetido a um transplante de fígado, encontra-se em recuperação e falou durante o Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions, em Cannes, sobre downloads e a música digital.

"MP3? Pelo amor de Deus. Essa coisa soa horrivelmente mal, as pessoas não sabem o que estão perdendo. Isso foi reduzido ao menor denominador comum", explica dizendo ainda que os CDs também soam "pessimamente", comparando com o "som bonito e quente" do vinil.

Sobre os downloads, o norte-americano considera que têm um lado positivo: "Antigamente, tinhas que procurar as músicas. Agora, com os downloads, está tudo disponível. Mas o som é uma porcaria", afirma.



Fonte: Blitz



Assista "Submerged", novo vídeo do Spock's Beard

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:31

0

A canção faz parte do álbum Brief Nocturnes And Dreamless Sleep, da banda de rock progressivo Spock's Beard. Veja:






John Densmore em reconciliação com The Doors

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 15:06

0


Por uma década, os integrantes remanescentes do Doors estavam em guerra, envolvidos em processos e disputas sobre o licenciamento de músicas e uso do nome da banda. Mas, quando o tecladista Ray Manzarek foi hospitalizado este ano com uma forma rara de câncer, as relações entre os velhos amigos finalmente começaram a descongelar.

Em entrevista à Rolling Stone John Densmore falou sobre o ex-colega de banda que morreu no mês passado, na Alemanha. "Eu ouvi que ele estava realmente doente e resolvi ligar para ele. Ele agradeceu pelas orações e disse que a quimioterapia era fodida. Então, houve o fechamento de um ciclo, graças a Deus."

O músico acrescentou que deve se juntar a Robby Krieger, guitarrista da banda, para fazerem um tributo a Ray Manzarek. "Eu disse a Robby há algumas semanas em um email: 'Vamos fazer nosso reencontro musical por Ray. Vamos tocar algumas músicas do Doors no Whisky ou Wiltern - há um monte de grandes músicos em LA que conhecemos e que admiram a banda.. Eu gostaria de quebrar o gelo dessa maneira.' Deve acontecer muito em breve."


David Lynch na direção do clipe do Nine Inch Nails

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:51

0



Trent Reznor recrutou David Lynch para dirigir o clipe de “Came Back Haunted”, primeiro single do novo álbum do Nine Inch Nails. O vocalista e produtor divulgou uma foto dos dois com a legenda “tr;dl” (uma brincadeira com os nomes “Trent Reznor; David Lynch” e o código para “too long; didn’t read”).
Essa não é a primeira vez em que eles trabalham juntos. Reznor colaborou em “Lost Highway”, filme de Lynch de 1997.

"Ele (Lynch) estava procurando alguém para cuidar do som de Lost Highway e um amigo sugeriu que ele me ligasse. Não tinha visto o filme, mas sou um grande fã de David Lynch – costumávamos segurar os shows do Nine Inch Nails para ver Twin Peaks. Então reservamos um fim de semana para ele me visitar em Nova Orleans. No começo foi a maior pressão, mas isso durou literalmente um minuto. Ele é ainda mais legal do que eu imaginei que seria. "

Fonte: Club NME

Rolling Stones: discografia remasterizada no iTunes

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:55

0


Os Stones relançaram toda a discografia da banda remasterizada no iTunes como parte das comemorações dos 50 anos de carreira. A loja de música digital da Apple inclusive criou uma página especial para abrigar o catálogo o grupo.

Todos os discos passaram por uma finalização, e isso inclui os álbuns de estúdio, registros ao vivo e coletâneas. De acordo com a Billboard norte-americana, os fãs poderão encontrar desde The Rolling Stones, lançado em 1964, até a compilação GRRR!, que saiu no fim de 2012, passando, é claro, pelos clássicos como Exile on Main St. e Sticky Fingers.

A loja também trará o e-book Rolling Stones 50, um aplicativo da banda e múltiplos documentários sobre o grupo, como Ladies and Gentlemen: The Rolling Stones e o elogiadoCrossfire Hurricane.

O relançamento também está disponível na versão brasileira do iTunes. 


Michael Schenker faz show em São Paulo

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:51

0



No próximo sábado (22), um quinteto com quatro ex-integrantes do Scorpions toca músicas do grupo em São Paulo. Com o título Lovedrive Reunion Tour, o show acontece no HSBC Brasil.

A ideia surgiu quando o guitarrista Michael Schenker, 58, e o baterista Herman Rarebell, 63, decidiram incluir canções do álbum "Lovedrive" (1979), do Scorpions, em um show que ainda teria músicas do UFO, outra banda que teve Schenker na formação.

"Não estava dando certo com (o baixista) Pete Way (ex-UFO), e chamamos Francis (Buccholz, ex-baixista do Scorpions)", conta Schenker. Foi quando a coisa cresceu e se transformou no tributo ao Scorpions que será visto no sábado.

Aos três, junta-se o guitarrista Uli Jon Roth, 58, que deixou o grupo em 1978. Quem assume os vocais é Doogie White, 53, cantor do Michael Schenker Group. Saíram de "Lovedrive" as baladas "Holiday" e "Always Somewhere", bem conhecidas no repertório do Scorpions. A primeira deve entrar no set list da apresentação em São Paulo, assim como "Coast to Coast", outra deste disco.

Mas Schenker e colegas não se limitam a este álbum, nem mesmo a canções do Scorpions. Dá para esperar "Blackout", hit que a banda alemã gravou no disco de mesmo nome, de 1982, e hits do UFO e do MSG. O guitarrista diz, no entanto, que não ouviu nenhum dos trabalhos mais recentes do Scorpions. "Não escuto músicas. Concentro minha energia em criá-las."


Serviço:

HSBC Brasil
Tel. 4003-1212
Sábado (22/06), 22h
R$ 130 a R$ 280
www.ingressorapido.com.br


Fonte: Guitarload

Novo álbum do Motörhead chega em setembro

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:47

0



O Motörhead divulgou o nome de seu próximo álbum, que deve ser lançado em Setembro. Entitulado “Aftershock”, o álbum segue o CD de 2010, “The World Is Yours”.
O novo trabalho foi gravado em Santa Ana, Califórnia, produzido por Cameron Webb e deve ter 13 faixas. “Dust And Glass”, “Knife”, “Death Machine” e “Heartbreaker” são alguns nomes de músicas já divulgados.
Após o lançamento do álbum, a banda fará turnê na Inglaterra com o Saxon.

Fonte: Wikimetal

Brandon Flowers:"Definitivamente vou fazer outro álbum solo"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:43

0


Brandon Flowers revelou seus planos de lançar um segundo álbum solo assim que o The Killers terminar a turnê de “Battle Born”. “Flamingo”, seu primeiro álbum, foi lançado em 2010.

"Definitivamente vou fazer outro álbum solo. Com ‘Flamingo’ não foi algo improvisado, eu realmente amei o que fiz. O álbum também teve sucesso, o que ajuda, mas amo aquelas músicas e sinto falta de cantá-las. Não era algo que eu planejava, mas estou sempre escrevendo músicas e acho, ou espero, que sempre vá ser assim. Então o que mais eu deveria fazer?”
Ronnie Vanucci, baterista do Killers, disse que a banda está trabalhando em novas músicas e gravou algumas coisas com Anthony Gonzalez do M83. “Não só demos”, ele avisa, “gravações de verdade. Quer dizer, você nunca sabe o resultado final, acho. Mas temos nosso engenheiro de som e estamos trabalhando com alguns convidados surpresa. Algumas das coisas estão ficando muito legais”.

Fonte: Club NME

Ozzy quer Bill Ward em próximo trabalho do Sabbath

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 10:38

0


Além de praticamente confirmar um novo álbum, Ozzy Osbourne ainda acenou com a possibilidade de gravar com Bill Ward novamente.
Em entrevista concedida para a edição dessa semana da NMEOsbourne revela suas esperanças de que a banda resolva as diferenças e trabalhe num sucessor para o álbum “número um”, “13”.
"Existe uma grande chance de isso acontecer. Nós teríamos amado a participação de Bill nesse álbum (“13”). Talvez possamos trabalhar juntos num próximo, mas não vamos demorar mais 35 anos. Tenho 65 agora. Não existem estúdios de gravação na pós-vida.” 
O vocalista ainda admite que se arrepende de ter feito o reality “The Osbournes” e espera que o disco faça com que as pessoas esqueçam desse “detalhe”. “Eu não queria estar na televisão, eu não me tornei vocalista de uma banda de rock para dar a previsão do tempo, sabe o que eu quero dizer? Esse é parte do motivo que me fez voltar”, ele conta.
Black Sabbath saiu em turnê para divulgar “13” e deve fazer uma paradinha no país para tocar no já esgotado show de São Paulo, dia 11 de outubro, Rio de Janeiro (dia 13) e Porto Alegre (dia 9).

Fonte: Club NME

Black Sabbath o pai do Stoner!

Posted by João Carlos Martins | Posted in , | Posted on 10:04

0

“Essa coluna passou um bom tempo sem nenhuma publicação, pois eu estava com sérios problemas de saúde, devido a isso gostaria de me desculpar com todos que a acompanham e dizer que espero poder ser mais frequente.”

(Computador).

Muito boa quinta-feira meus queridos, bem vindos novamente à caverna de John!
Depois dessa retratação formal de meu computador espero não parar mais, a partir de agora, de falar desse tal Rock, principalmente de Stoner que é um assunto que gosto bastante. Nesse tempo todo que fiquei parado tive muitas ideias de como prosseguir com a coluna, lembrando das que já escrevi, notei que abordava sempre ótimas bandas, mas sempre querendo falar delas de uma forma muito generalizada, pois abordava além de suas histórias todos os álbuns e etc., com isso pra não escrever textos enormemente grandes, chatos e prolixos, acabava sempre deixando algo para trás.
Agora meu intuito nada mais será que falar de álbuns, um por um, em cada coluna tentar falar o máximo que puder deles, dissecando-os, recomendando-os, criticando-os positiva e negativamente. Obviamente sempre estará envolvido no mundo do Stoner, seus orientados e orientadores, e para parar de ladainha hoje vou cumprir uma promessa que fiz via twitter que quando chegássemos as 100 likes mandaria um Black Sabbath pesadão, então hoje chegou o dia.



Escolho Black Sabbath, uma porque lançaram disco novo recentemente, outra porque são definitivamente uma banda que dentro do Rock pode se encontrar uma canção, quiçá um álbum deles que se enquadre a qualquer gênero, pois são muito plurais e sem dúvida tem um dos plays mais pesados e irrefutavelmente um dos mais pedradas, o excelentíssimo Master of reality, influência total para qualquer um que ouve um bom Stoner.
Sabemos que Black Sabbath é uma lenda viva no que diz respeito a heavy metal, desde seu primeiro autointitulado, que os inseriu e os cravou no mundo do Rock tornando-os essenciais para qualquer um que diz gostar bandas malvadas. O que será abordado aqui é o terceiro de sua carreira lançado no ano de 1971, que tenho orgulho em dizer que foi o primeiro que ouvi, completo, deles e que é o meu favorito da banda e não só da fase Ozzy, diga-se de passagem.
São oito faixas pesadíssimas para fazer com que qualquer um tenha arrepios ao ouvir todas aquelas notas, em grande parte “gravezonas”, que não preciso nem dizer que é a característica incontestável do Stoner. Sweet Leaf inicia a barulhada logo com uma tosse muito estranha e uma intro bem compassada para influenciar qualquer um que queira fazer um som sinistro.


Na sequência vem a esplendida After Forever que te faz pensar: “Caralho! Só pedrada logo nas duas primeiras, acho que não pode ficar melhor.” E é aí que somos enganados, Embryo entra para dar uma acalmada nos ânimos com um instrumental breve e simples para abrir espaço e forrar com tapete vermelho por onde há de vir a, para mim, mais pesada, mais significativa e influente no mundo do gênero que está sendo abordado que é nada mais nada menos que Children of the Grave!


Essa introdução impossível de confundir, só de ouvir a primeira bumbada já é o bastante para saber que ela virá.
Na sequencia outra instrumental, na mesma pegada da instrumental anterior chamada essa de Orchid e como já visto anteriormente uma calmaria para anteceder uma paulada, já que logo após entra todo o ódio possível e imaginável com Lord this world – a primeira que ouvi desse disco e que me fez querer conhecer mais sobre a banda.



Quando pensamos que somente há maldade, em termos de sonoridade é claro, ao terminar essa magnifica canção vem uma balada, com um violão tirando notas uma oitava acima, com o baixo o acompanhando, além de piano e flauta que nosso querido Iommi não deixa a desejar. Numa letra impressionante e interpretada por, acreditem Ozzy Osbourne, ela vem como sétima no temível pai do Stoner.

                                                 Citado com ênfase o fato de Ozzy cantá-la
pois devido a grande diferença que existe
quanto as canções anteriores, muitos
afirmaram que Bill Ward foi o vocalista.


Aí então para fechar, e não podia ser melhor, uma das que mais faz sucesso entre bandas que regem essa coluna, que sempre se tem um cover, que é absolutamente grandiosa e extremamente pesada, muito devido ao baixo deveras rosnador de Geezer, o gran finale! Into the void.


 Para mostrar o quão influente é essa canção, a banda Kyuss a gravou em um de seus EPs com QOTSA, e como sabemos os caras são fundamentadores do estilo.

Por fim, para quem ainda não conhece e para quem conhece também, que sei que não vai perder essa, o álbum todo. Vale a pena ser escutado do início ao fim. Espero que tenham gostado da minha nova metodologia, hehe. 

Até mais!





Ouça Revolution Harmony, novo projeto de Serj Tankian, Ihsahn e Devin Townsend

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:14

0

O nome do single é We Are, e seus rendimentos serão doados a Buskaid, uma instituição de caridade que oferece aulas de música para crianças de regiões pobres da África do Sul.








Filosofia & heavy metal: veja monografia sobre Nietzsche e o gênero

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 20:31

0

Via Whiplash!

O pesquisador Lucas Gurgel (e também guitarrista/vocalista do grupo Clamus) empreendeu uma desafiadora proposta ao buscar correspondências entre o pensamento de Nietzsche, o Rock e o Heavy Metal. Com a pesquisa “‘HELL YEAH!’: Por uma Filosofia do Rock e do Metal a partir do Pensamento Estético-Musical de Nietzsche”, o autor desenvolve a hipótese de que a história da evolução do estilo musical Rock pode ser melhor compreendida a partir de uma análise do pensamento estético-musical de Nietzsche.

Clique aqui e faça o download do trabalho.

Nietzsche foi um filósofo alemão famoso por suas teorias como a do Eterno Retorno, do Super-Homem (tradução contraditória e nada a ver com o herói) e transmutação de todos os valores; autor de clássicos como Assim Falou Zaratustra, Para Além do Bem e do Mal, O Anticristo e A Gaia Ciência, o bigodudo foi um ácido crítico do cristianismo. Nietzsche é um dos maiores inspiradores de bandas mais extremas com temas ligados à religião, principalmente européias.

O alemão é autor da famosa frase "Deus está morto", e foi homenageado na capa do single God is Dead?, do Black Sabbath.















Suicidal Tendencies volta ao Brasil em agosto

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:49

0


Pouco mais de um ano após sua mais recente visita ao país o Suicidal Tendencies volta em agosto.

O roteiro do grupo americano ainda não está definido. No ano passado, o Suicidal foi uma das atrações da Virada Cultural, em São Paulo.


Em março deste ano, a banda lançou "13", seu mais recente álbum.


Fonte: Destak

Ouça "Agony", música do projeto de James LaBrie (Dream Theater)

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:30

0



"Impermanent Resonance", o álbum solo de James LaBrie vocalista do Dream Theater tem lançamento previsto para 29 de julho.

Segundo LaBrie o álbum tem "11 outras faixas que irá levá-lo para um passeio dinâmico e emocional."

Confira "Agony", primeiro single do novo disco: 

 


Fonte: Metal Hammer

Blondie: Novo álbum pode sair ainda este ano

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:18

0

 
O Blondie anunciou o lançamento do que pode ser seu novo álbum: Ghosts of Download
 
O disco ainda não tem data de lançamento, mas, em sua página oficial no Facebook, a banda postou a seguinte mensagem : “Próximo álbum, gravação, uma coleção de músicas se chamará: GHOSTS OF DOWNLOAD”

O lançamento pode ocorrer ainda em 2013.

Confira o tracklist:

Rave
Winter  
I Want to Drag You Around  
A Rose by Any Name  
Sugar on the Side  
Take Me in The Night


Fonte: The Music Journal Brazil

Arctic Monkeys: assista ao novo clipe da banda, "Do I Wanna Know?"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:31

0



O Arctic Monkeys colocou hoje à venda no iTunes o single "Do I Wanna Know?". 

Já tocada ao vivo, a canção antecipa o próximo álbum dos ingleses, ainda sem data de lançamento. 

Confira o vídeo:



Fonte: Blitz

Queensrÿche já escreve novas músicas

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:26

0


O vocalista do Queensrÿche, Todd La Torre, postou a seguinte mensagem em sua página do facebook:
“Hoje recebi a primeira cópia de um álbum comigo na função de vocalista. E com o lendário Queensrÿche. Palavras não são suficientes para descrever o que sinto. Conheci esses caras 21 anos atrás, quando autografaram a capa da minha cópia do The Warning. Sempre sonhei em ser um baterista famoso, mas isso excedeu minhas expectativas. Começa um novo capítulo na história da banda. Grande ensaio hoje, novas músicas sendo escritas. Muito feliz pelo incrível apoio que recebemos até aqui. Obrigado, de verdade. Me sinto no topo do mundo. Aos meus colegas de banda: nós conseguimos! Agora, de volta ao trabalho… temos mais o que compor”.

Fonte: Van do Halen

Down: assistam jam de Gene Hoglan com a banda

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:42

0

No último sábado o Down tocou na Dinamarca e recebeu com um convidado mais do que especial: o monstruoso baterista Gene Hoglan (Death, Testament, Dark Angel, entre outras inúmeras bandas) que fez uma jam com a banda durante Bury me in Smoke.

O mais incrível é que a troca de bateristas ocorreu durante a canção. Assista o vídeo e veja Jimmy Bower, baterista do Down, cedendo lugar a Gene:





Via Metal Sucks

Slipknot: membro da banda diz que novo álbum sai em 2014

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:35

0

A Metal Hammer fez uma série de entrevistas durante o Download Festival ocorrido no último fim de semana. Bandas como Iron Maiden, Slipknot e Rammstein foram os headliners do evento.

Em entrevista, Clown, percussionista do Slipknot, afirma que haverá disco novo do Slipknot em 2014. A mensagem foi bem clara e ocorreu ao final do vídeo: "em 2014 um novo disco. Vocês quiseram, vocês terão."





Heavy Nation entrevista Max Cavalera sobre os protestos no Brasil

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:23

0

O jornalista Maurício Dehò, do Heavy Nation e UOL, conduziu uma entrevista com Max Cavalera (Soulfly, Cavalera Conspiracy, ex-Sepultura e possivelmente o maior ícone do metal nacional) sobre os protestos que ocorreram no Brasil nos últimos dias; o músico falou sobre o vídeo que gravou apoiando os manifestantes, da importância do manifesto pacífico, de seus problemas com a polícia e das críticas que recebe por hastear a bandeira do Brasil se vive em Phoenix, nos Estados Unidos.


A entrevista completa você lê clicando aqui.


O vídeo que Max divulgou foi este:




Phil Anselmo libera nova canção de disco solo

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 08:17

0

Com lançamento previsto para 16 de julho, o álbum Walk Through Exits Only, primeiro trabalho solo de Phil Anselmo (Down, Pantera, Superjoint Ritual), já começa a ser desvendado.

A faixa liberada desta vez foi Bedridden, que você pode ouvir, junto com outras duas, no final da página do link clicando aqui.




Roger Daltrey: "Hendrix copiou Townshend"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:48

0



Roger Daltrey, vocalista do The Who, insiste que Townshend, seu colega de banda, é um dos guitarristas mais originais que ele já viu, tanto que Hendrix - que ficou conhecido como um dos maiores músicos do seu tempo antes de sua morte em 1970, aos 27 anos - adaptou o jeito que ele tocava o instrumento.
 
"O estilo da guitarra de Pete - não tem nada igual. As pessoas dizem que os melhores guitarristas são (Jimmy) Page, (Eric) Clapton; sim, eles são fantásticos, sem dúvida disso - maravilhosos -, mas eles são originais?".

"Eu diria que eles são derivados de Robert Johnson e todas essas pessoas. Mas você escuta Townshend com um acorde poderoso, e o que ele faz com a guitarra, que foi copiado por Hendrix, é totalmente original. Você pensa: 'De onde veio isso?'. Acho que o principal motivo é que ele era um tocador de banjo antes de ser guitarrista. Quando você começa a pensar, faz sentido".

Assim como o estilo diferente de Pete, Roger admite que fica "muito orgulhoso" que o grupo tenha optado por um som único durante os anos 1970.


Fonte: Guitarload

Black Sabbath: ingressos esgotados em São Paulo

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:08

0


A produtora Time For Fun soltou o seguinte comunicado essa manhã:

Informamos que todos os ingressos para o show do Black Sabbath em São Paulo, dia 11 de outubro, estão esgotados. A partir de agora, há ingressos disponíveis somente em Porto Alegre (Pista - Lote 3 e Pista Premium), dia 09/10, e no Rio de Janeiro (Pista), dia 13/10.

A venda dos ingressos restantes acontece nas bilheterias oficiais (Citibank Hall – Rio de Janeiro/ Multisom – Porto Alegre); pela internet (www.ticketsforfun.com.br); pelo telefone 4003-5588; demais pontos de venda em todo o país (http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv).

Atenciosamente,

ASSESSORIA DE IMPRENSA – T4F.
 Via: Stay Heavy

Placebo apresenta tracklist do novo álbum. Confira

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 12:04

0




O Placebo revelou alguns detalhes do seu próximo disco, Loud Like Love .
O álbum é o primeiro desde Battle For The Sun, de 2009 e sai em 16 de setembro.


Veja o tracklits de Loud Like Love:

Loud Like Love
Scene Of The Crime
Too Many Friends
Hold On To Me
Rob The Bank
A Million Little Pieces
Exit Wounds
Purify
Begin The End
Bosco 




Fonte: Blitz

Iced Earth tem novo baterista e ele é brasileiro

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 17:49

0


O músico brasileiro Raphael Saini foi confirmado como substituto do baterista Brent Smedley no Iced Earth. 

Ele se juntará ao grupo nos próximos meses para as gravações do novo disco, Plagues Of Babylon, além dos festivais de verão do hemisfério norte onde a banda iniciará uma turnê como headliner.

Raphael é nascido no Brasil, mas passou boa parte de sua vida na Itália, onde é baterista da banda We are building ruins e professor na cidade de Cagliari.


Fonte: O Baterista

Ouça o novo álbum do Queensrÿche na íntegra

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 16:56

0



O álbum marca a estreia do vocalista Todd La Torre e pode ser conferido no site da Blabbermouth. O lançamento oficial acontece no próximo dia 25 via Century Media Records.

Confira o tracklist de "Queensrÿche" :

01. X2
02. Where Dreams Go To Die
03. Spore
04. In This Light
05. Redemption
06. Vindication
07. Midnight Lullaby
08. A World Without
09. Don't Look Back
10. Fallout
11. Open Road

Dave Mustaine e Jason Newsted podem tocar juntos

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 14:17

0



Dave Mustaine, indicou que pode fazer uma apresentação com Jason Newsted durante a turnê do Gigantour, quando os dois ex-integrantes do Metallica se apresentarão com suas respectivas bandas.

Um post de Mustaine do Twitter deixou praticamente claro o que alguns boatos já diziam desde que as bandas foram confirmadas para o festival. 

“Se eu tocar uma música que escrevi no Metallica, com Jason Newsted, qual deve ser? Ride, Metal Militia, Phantom, Jump, Khutulu ou Four Horsemen?”

No mês passado, Newsted havia comentado em uma entrevista que os dois poderiam vir a tocar juntos, embora não fosse certo. O baixista citou a música Phantom Lord como uma possibilidade. 


Fonte: Wikimetal

Mike Portnoy: "O último show foi incrível!"

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 14:12

0


Ontem, 16 de Junho, aconteceu no Carioca Club em São Paulo a última apresentação de Mike Portnoy como baterista do Adrenaline Mob. O músico publicou um comentário em seu perfil oficial a respeito do show deste domingo: 

“O último show com o Adrenaline Mob no Brasil foi incrível. Talvez um dos melhores que já fizemos! Juntos de Lzzy Hale (Halestorm) para “Come Undone” e Tim “Ripper” Owens (Dio Disciples) “Mob Rules”. Triste de ver este capítulo de Adrenaline Mob acabar. Espero que algum dia na estrada nossas rotinas possam se re-alinhar e possamos fazer mais mágica juntos!”


Fonte: Wikimetal

Nick Drake e sua bela depressão setentista

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 11:12

0



Por Rose Gomes


Nicholas Rodney Drake, ou simplesmente Nick Drake. Talvez você nunca tenha ouvido falar neste artista singular ou talvez até o conheça e hoje mostrarei um pouco de sua curta, porém valorosa discografia.

Nascido em junho de 1948 na antiga Birmânia, Drake traz em todas as suas composições a melancolia como tema central. O cantor morreu jovem – aos 26 anos, em novembro de 1974. Muitos acreditam que tenha sido suicídio, pois Nick sofria de forte depressão, o que podemos notar claramente em seu trabalho. Com um estilo chamado por muitos de folk progressivo teve uma carreira breve com apenas três discos lançados e o mais irônico ou até mesmo injusto é que somente décadas depois de sua morte seus álbuns foram reconhecidos como alguns dos melhores discos da história.

Five Leaves Left – Setembro de 1969 

Neste trabalho voz de Nick remete um pouco a  Jack Johnson e em algumas músicas Jakob Dylan do Wallflowers,  mas de uma maneira mais soturna.


Esse disco traz mais referências à música clássica, é aquele tipo de música pra relaxar, pegar uma estrada ou até mesmo descansar a cabeça. River Man  tem uma orquestra bonita, o som do violino desliza sobre o som do violão. Destaques para Way to Blue  com uma belíssima introdução, e Day is Done. O disco fecha com Saturday Sun que tem um dos pianos mais lindos que já ouvi, e um estilo mais voltado ao jazz.

Ficou em 283º lugar na lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone. Entra também na lista de discos preferidos de alguns músicos como Robert  Smith vocal do The Cure e Peter Buck, guitarra do R.E.M.




Bryter Layter  - Novembro de 1970

É um álbum menos deprêDrake foi acompanhado pela banda folk britânica Fairport Convention e por John Cale, ex-músico do Velvet Underground. Possui maior influência de jazz e  músicas mais animadas como Hazey Jane II  e Poor Boy.


O disco começa com a belíssima Introduction, com a suave presença de violinos. A flauta da instrumental Sunday faz imaginar que  Nick teria se dado muito bem em uma banda de rock progressivo.
 
Ficou em  245º lugar entre os 500 maiores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone, e apesar de Pink Moon ser o álbum mais aclamado pela critica , ainda assim esse foi o que mais gostei.

 



Pink Moon – Fevereiro 1972

É mais depressivo e simples, contando apenas com Nick e um violão. Foi gravado  em duas sessões de duas horas, e tem somente 28 minutos. No estúdio apenas Nick e o produtor Joe Boyd estavam presentes. 


Abre com a música de mesmo nome, Pink Moon que é destaque juntamente com This Behind the Sun com um violão muitíssimo bem trabalhado. No geral as letras também chamam a atenção por serem bem depressivas. Em Place to be, Nick canta:
 
"And I was strong, strong in the sun
I thought I’d see when day is done
Now I’m weaker than the palest blue."

"E eu era forte, forte sob o sol.
Pensei que veria quando o dia chegasse ao fim
Agora sou mais fraco que o mais pálido dos azuis."

Bastante elogiado pela crítica, Pink Moon ficou em 320ª na lista dos 500 maiores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone, mostrando que é possível se fazer um álbum de qualidade apenas com violão e banquinho.

 

Não há registros de Nick Drake se apresentando ou falando. No youtube podemos ver apenas a clipes de fotos, o que me deixa mais curiosa ainda em relação a ele, e a tudo relacionado a essa época dos anos 60-70, tão depressiva, tão saudosa, tão medonha, tão fascinante!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...